segunda-feira, 23 de agosto de 2010

III Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

   Eu, Gabriel e Janeide - Seminário
Aconteceu entre 19 a 21 deste mês o III Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias no Anfiteatro Elis Regina em São Paulo.
O evento reuniu diversas instituições nacionais e estrangeiras, onde foram relatadas diversas experiências de instituições que trabalham com incentivo a leitura.
Nesta oportunidade também foram apresentados dados estatísticos de Bibliotecas Municipais e escolares e também de diversos projetos de incentivo à leitura no Brasil.
A pergunta neste momento é: Onde estão os dados estatísticos das Bibliotecas Comunitárias?
Alguns deles estavam misturados dentro dos projetos de incentivo à leitura, mas se o Seminário leva o nome de Bibliotecas Comunitárias, por que não apresentar um resultado específico das Bibliotecas Comunitárias?
Isto demonstra o pouco reconhecimento que as Bibliotecas Comunitárias ainda têm em relação ao poder público. Cabendo assim aos que estão a frente das Bibliotecas Comunitárias se organizarem cada vez mais, a nível local, regional e nacional para buscar este reconhecimento junto ao poder público.
Observando as estatísticas das Bibliotecas Municipais, percebi resultados semelhantes ou até inferiores aos das Bibliotecas Comunitárias, quando se referi a número de empréstimos, atividades de mediação etc.
O Estado, o Conselho de Biblioteconomia e as Bibliotecas Públicas precisam perceber que as Bibliotecas Comunitárias não são concorrentes das Bibliotecas Públicas. As Comunitárias nasceram para suprir uma necessidade essencial de alguma comunidade, na qual anteriormente as Públicas não alcançavam.
Sei que muitas Comunitárias registram seus acervos e fazem dados estatísticos, seria uma boa idéia agora, nos organizarmos por região e talvez padronizar um instrumento que mostre o que as Comunitárias têm conseguido de resultados. Não é uma tarefa fácil, mas com certeza indicará uma maior formalidade e organização das Bibliotecas Comunitárias.
Além disso, os espaços de fala das Bibliotecas Comunitárias estavam resumidos nas apresentações dos Painéis, onde apenas é relatados as experiências leitoras.
Após toda essa apreciação crítica é preciso dizer também que o evento é um espaço fantástico de aprendizagem e de articulação, é uma excelente oportunidade para conhecer diversas experiências, conhecer pessoas e com certeza ninguém sai com um turbilhão de idéias para aplicar em suas Instituições.
Deixo assim esses dois sentimentos paradoxos, sobre este seminário, porém fico com um sentimento muito mais positivo, acreditando que as coisas irão mudar cada vez mais para melhor, até porque muitas perguntas que enviamos para os palestrantes falavam desta frustração, que o próximo Seminário contemple e faça jus ao seu nome.
Ah! Simultaneamente ao evento estava acontecendo a Bienal do livro, não poderia deixar de lembrar também que os participantes tiveram a oportunidade de fazer uma visita técnica a Biblioteca de São Paulo, uma Biblioteca inovadora, linda e inspiradora. Veja as fotos!
Bienal do Livro
Bienal do Livro

No Seminário
Biblioteca São Paulo
Biblioteca São Paulo

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Visita a Biblioteca Juracy Magalhães


A Rede EMredando Leituras visitou na última sexta-feira a Biblioteca Juracy Magalhães, localizada no Rio Vermelho.
Os parcipantes da Rede visitaram as intalações da Biblioteca e na oportunidade tiraram muitas dúvidas com os funcionários da Biblioteca.
Ao final do encontro fizemos um pequeno lanche, literalmente falando e depois lanchamos as poesias e um conto de Ricardo Azevedo, metaforicamente falando.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Encontro com escritor

A Biblioteca Comunitária do Calabar realizou nesta última sexta-feira (30/07/10) o encontro com o Professor e cordelista Antonio Carlos Barreto.
O escritor falou de literatura de cordel e recitou alguns dos seus escritos, também respondeu muitas perguntas feitas pelo público.

Ao fim do encontro Barreto distribuiu livretos de cordel e foi homenageado recebendo o livro de Poesias ABRE A BOCA CALABAR. O escritor também ganhará uma placa feita pela Biblioteca Comunitária do Calabar em sua homenagem.